O que a ciência nos diz sobre os benefícios do Óleo de Krill para a sua saúde.

Partilhe este artigo agora.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

O óleo de krill é um suplemento que está rapidamente a ganhar popularidade como uma alternativa ao óleo de peixe.

É feito a partir de krill, um tipo de pequeno crustáceo consumido por baleias, pinguins e outras criaturas marinhas.

Tal como o óleo de peixe, é uma fonte de ácido docosahexaenóico (DHA) e ácido eicosapentaenóico (EPA), tipos de gorduras ómega-3 encontradas apenas em fontes marinhas. Têm funções importantes no organismo e estão ligados a uma variedade de benefícios para a saúde.

O óleo de krill é por vezes comercializado como sendo exponencialmente superior ao óleo de peixe, muito em parte pela sua composição de fosfolipídios, embora seja necessária mais investigação sobre isso. Independentemente disso, o Krill tem alguns benefícios importantes para a saúde.

Os benefícios científicamente comprovados, para a saúde, do óleo de krill, são:

Excelente Fonte de Gorduras Saudáveis

Tanto o óleo de krill como o óleo de peixe contêm as gorduras ómega-3 EPA e DHA.

No entanto, algumas evidências sugerem que as gorduras encontradas no óleo de krill podem ser mais fáceis de utilizar pelo organismo do que as do óleo de peixe, uma vez que a maioria das gorduras ómega-3 no óleo de peixe são armazenadas sob a forma de triglicéridos (6).

Por outro lado, uma grande parte das gorduras ómega 3 do óleo de krill pode ser encontrada sob a forma de moléculas chamadas fosfolípidos, que podem ser mais fáceis de absorver na corrente sanguínea (6).

Alguns estudos descobriram que o óleo de krill era mais eficaz do que o óleo de peixe ao elevar os níveis de ómega 3, e levantaram a hipótese de que as suas diferentes formas de gorduras ómega 3 poderiam ser a razão (6, 7).

Outro estudo comparou cuidadosamente as quantidades de EPA e DHA em óleo de krill e óleo de peixe, e descobriu que os óleos eram igualmente eficazes no aumento dos níveis de ómega 3 no sangue (8).

Ajuda a combater a Inflamação

Os ácidos gordos Omega-3 como os encontrados no óleo de krill mostraram ter importantes funções anti-inflamatórias no organismo (9).

De facto, o óleo de krill pode ser ainda mais eficaz no combate à inflamação do que outras fontes ómega-3 marinhas, porque parece ser mais fácil para o corpo utilizá-lo.

Além disso, o óleo de krill contém um pigmento rosa-laranja chamado astaxantina, que tem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes (9).

Alguns estudos começaram a explorar os efeitos específicos do óleo de krill sobre a inflamação.

Um estudo com tubo de ensaio descobriu que este reduziu a produção de moléculas causadoras de inflamação quando bactérias nocivas foram introduzidas nas células do intestino humano (9).

Um estudo com 25 pessoas com níveis ligeiramente elevados de gordura no sangue descobriu que a toma diária de 1.000-mg de óleo de krill melhorou um marcador de inflamação ainda mais eficazmente do que um suplemento diário de 2.000-mg de ómega-3 purificado (10).

Além disso, um estudo de 90 pessoas com inflamação crónica descobriu que tomar 300 mg de óleo de krill diariamente era suficiente para reduzir um marcador de inflamação em até 30% em apenas um mês (11).

Embora existam apenas alguns estudos que investigam o óleo de krill e a inflamação, estes têm mostrado resultados potencialmente benéficos.

Pode reduzir a artrite e as dores articulares

Como o óleo de krill parece ajudar a reduzir a inflamação, também pode melhorar os sintomas da artrite e dores articulares, que muitas vezes resultam de inflamação.

De facto, um estudo mostrou que o óleo de krill reduziu significativamente um marcador de inflamação e também descobriu que o óleo de krill reduziu a rigidez, a incapacidade funcional e a dor em pacientes com reumatóides ou osteoartrite (11).

Um segundo estudo, pequeno mas bem concebido, com 50 adultos com dor ligeira no joelho, descobriu que o consumo de óleo de krill durante 30 dias reduziu significativamente a dor dos participantes enquanto dormiam e estavam de pé. Também aumentou a sua amplitude de movimento (12).

Além disso, os investigadores estudaram os efeitos do óleo de krill em ratos com artrite. Quando os ratos tomavam óleo de krill, tinham melhorado a pontuação de artrite, menos inchaço e menos células inflamatórias nas suas articulações (13).

Embora sejam necessários mais estudos para apoiar estes resultados, o óleo de krill parece ter um bom potencial como tratamento suplementar para a artrite e dores nas articulações.

Pode melhorar os lípidos sanguíneos e a saúde do coração

As gorduras Omega-3, e DHA e EPA especificamente, são consideradas saudáveis para o coração (2).

A investigação tem demonstrado que o óleo de peixe pode melhorar os níveis de lípidos no sangue, e o óleo de krill parece ser também eficaz. Estudos demonstraram que pode ser particularmente eficaz na redução dos níveis de triglicéridos e outras gorduras no sangue (2, 14, 15, 16, 17).

Um estudo comparou os efeitos do óleo de krill e dos ómega-3 purificados nos níveis de colesterol e triglicéridos.

Apenas o óleo krill eleveou os níveis do “bom” colesterol de alta densidade-lipoproteína (HDL). Foi também mais eficaz em diminuir um marcador de inflamação, embora a dosagem fosse muito mais baixa.

Uma recente revisão de sete estudos concluiu que o óleo de krill é eficaz na redução do “mau” colesterol LDL e triglicéridos, e pode também aumentar o “bom” colesterol HDL (17).

Outro estudo comparou o óleo de krill com o azeite de oliva e descobriu que o óleo de krill melhorou significativamente a resistência à insulina, bem como a função do revestimento dos vasos sanguíneos (18).

São necessários mais estudos a longo prazo para investigar como o óleo de krill afecta o risco de doenças cardíacas. Mas com base nas provas até à data, parece eficaz para melhorar certos factores de risco conhecidos.

Pode ajudar a gerir os sintomas pré-menstruais (TPM)

Em geral, o consumo de gorduras ómega-3 pode ajudar a diminuir a dor e a inflamação (19).

Vários estudos descobriram que tomar ómega 3 ou suplementos de óleo de peixe pode ajudar a diminuir a dor e os sintomas da síndrome pré-menstrual (TPM), em alguns casos o suficiente para diminuir o uso de medicação para a dor (20, 21, 22, 23, 24).

Parece que o óleo de krill, que contém os mesmos tipos de gorduras ómega-3, pode ser igualmente eficaz.

Um estudo comparou os efeitos do óleo de krill e óleo de peixe em mulheres diagnosticadas com TPM (25).

O estudo concluiu que enquanto ambos os suplementos resultaram em melhorias estatisticamente significativas nos sintomas, as mulheres que tomavam óleo de krill tomavam significativamente menos medicação para a dor do que as mulheres que tomavam óleo de peixe (25).

Este estudo sugere que o óleo de krill pode ser pelo menos tão eficaz como outras fontes de gorduras ómega-3 na melhoria dos sintomas da TPM

É fácil de adicionar à sua alimentação através da suplementação

Tomar óleo de krill é uma forma simples de aumentar o seu consumo de gorduras saudáveis ómega-3 (EPA e DHA).

Está amplamente disponível e pode ser comprado online ou na maioria das farmácias, inclusive na nossa loja online.

As cápsulas são tipicamente mais pequenas do que as dos suplementos de óleo de peixe, e podem ser menos susceptíveis de causar arrotos ou um gosto residual de peixe.

O óleo de krill é também tipicamente considerado como uma escolha mais sustentável do que o óleo de peixe, porque o krill é tão abundante e reproduz-se rapidamente. Ao contrário do óleo de peixe, contém uma quantidade superior de astaxantina.

As organizações de saúde normalmente recomendam uma ingestão de 250-500 mg por dia de DHA e EPA combinados (26).

No entanto, são necessários mais estudos antes de se poder recomendar uma dose ideal de óleo de krill de peixe. Não se esqueça de seguir as instruções da embalagem ou discuti-la com o seu médico ou especialista.

Não é recomendado exceder a toma de 5.000 mg de EPA e DHA combinados por dia, quer pela sua dieta quer através da suplementação (26).

Finalmente, tenha em mente que algumas pessoas não devem tomar óleo de krill sem consultar os seus médicos. Isto inclui qualquer pessoa que tome diluentes do sangue, pessoas que se preparem para cirurgia ou mulheres grávidas ou a amamentar (4).

Isto porque as gorduras ómega-3 podem ter um efeito anti-coagulante em doses elevadas, embora as provas actuais sugiram que isto pode não ser prejudicial. O óleo de krill não foi estudado para segurança durante a gravidez ou a amamentação.

Deve-se também evitar tomar óleo de krill se tiver uma alergia a marisco.

Suplemento Recomendado

Faça um comentário agora.